Notícias

Saúde põe em prática plano contra epidemia de dengue

163Visualiazação
Devido ao volume de casos confirmados nas últimas semanas, força-tarefa começa com foco na região Noroeste

Diante do grande risco de epidemia de dengue neste ano em Bauru, a Secretaria Municipal de Saúde informou que já começou a colocar em prática o Plano Municipal de Enfrentamento da Dengue, que envolve uma força-tarefa com diversas ações tanto no âmbito da assistência de saúde quanto de vigilância epidemiológica. A medida foi antecipada, mesmo em um cenário ainda não confirmado de epidemia, devido ao volume de casos de dengue confirmados nas últimas semanas.

Segundo o titular da pasta,José Eduardo Fogolin, foram 49 casos nas duas últimas semanas de dezembro de 2018 e 16 na primeira semana de janeiro de 2019.

 Outro aspecto que preocupa é a entrada do vírus tipo 2 na cidade, que não circulava há sete anos no município. Apesar de o trabalho abranger toda a cidade, os esforços ficarão focados na região Noroeste, onde estão bairros como o Parque Jaraguá, Fortunato Rocha Lima, Santa Edwirges e Vânia Maria, com grande concentração de casos confirmados.

Entre as medidas anunciadas,está o monitoramento, durante dez dias, da evolução do quadro de saúde de pacientes com suspeita ou diagnóstico confirmado de dengue.

Para tanto, os agentes comunitários de saúde irão até a residência destas pessoas neste período, com o objetivo de reduzir o número de mortes por dengue diante de uma eventual epidemia. Outra mudança para possibilitar esta ação será a notificação imediata destes casos à Vigilância Epidemiológica. “Antes, o malote com as notificações demorava até 72 horas para chegar à Vigilância.

Vamos reduzir esse tempo para até 24 horas para acelerar o início deste acompanhamento do paciente”,detalha.

Segundo Fogolin, os casos mais graves, que demandarem internação, serão avaliados por representantes da secretaria para identificar eventuais falhas no serviço de assistência que possam ter contribuído para a evolução desfavorável.

 “Mas, para evitar que esse tipo de situação aconteça, também estamos reforçando o protocolo de diagnóstico da dengue nas unidades”, diz, acrescentando, ainda, que o Pronto Socorro Central terá duas salas de enfermaria específicas para soroterapia de pacientes com suspeita de dengue.

COMBATE AO MOSQUITO

 Para ampliar o combate ao mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença, várias medidas também serão adotadas, de acordo com o secretário.

Hoje, a prefeitura publico uno Diário Oficial do Município a nomeação de 28 agentes de controle de endemias para ampliar o quadro de servidores.

 Pela mesma razão, cerca de 30 profissionais que estavam em férias também tiveram o período de descanso suspenso. Fogolin explica que 45 agentes trabalharão fazendo o bloqueio de casa em casa exclusivamente na região Noroeste.

Em pontos estratégicos, como ferros-velhos, haverá ainda pulverização com biolarvicida, um produto novo,mais eficiente e menos prejudicial à saúde humana e de animais, segundo o secretário.

 “Em imóveis especiais, como unidades de saúde e escolas, também serão intensificadas as ações de controle de criadouros,principalmente na região Noroeste”, acrescenta.

Na mesma área da cidade,haverá, ainda, nebulização portátil ou, se no imóvel houver crianças, uso de aspirador para a retirada dos mosquitos adultos. “A partir do dia 15, a Sucen(Superintendência de Controle de Endemias) deve ceder um conjunto de maquinários para retomarmos o fumacê na região Noroeste.

Faremos este trabalho com o veículos, insumos e equipe próprios”, destaca.

 O resultado de todas as medidas será analisado semanalmente pela recém-criada “sala de situação”, formada pelo próprio secretário e alguns diretores da pasta, que poderá, se necessário, revisar e aprimorar as ações que estão sendo adotadas.

Acesso dos agentes aos imóveis

Além de reforçar a necessidade de manter quintais limpos e eliminar possíveis criadouros, a Secretaria Municipal de Saúde faz um apelo à população, já que os agentes de controle de endemias estão enfrentando dificuldades para ter acesso às residências durante as ações de bloqueio.

“Para que o Plano de Enfrentamento dê certo, precisamos da colaboração dos moradores.

Nossa equipe está  uniformizada e identificada com crachá. Em caso de dúvidas, pedimos para que as pessoas liguem para a Vigilância Ambiental para se certificar de que a equipe é da secretaria”, orienta.

O telefone é o (14) 3103-8050.

A pasta reforça que as ações de bloqueio não têm o objetivo de autuar moradores, caso irregularidades sejam encontradas.