Notícias

Lojistas realizarão drive thru em esquinas durante fase emergencial

81Visualiazação

Sincomércio teve a ideia para ajudar comerciantes em meio às novas restrições; entidade critica informativo da prefeitura

Com o intuito de garantir a sobrevivência do comércio em meio à fase emergencial do Plano SP, que começou a funcionar nesta segunda-feira (15) em todo o Estado de São Paulo, o Sindicato do Comércio Varejista (Sincomércio) de Bauru e Região idealizou um drive thru em conjunto nas esquinas. A iniciativa, que conta com o apoio da Associação Comercial e Industrial de Bauru (Acib) e da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL), propõe colocar tendas em locais onde há tráfego de veículos e, assim, permitir que os consumidores retirem as mercadorias sem descer dos mesmos, afinal, o governo estadual autoriza apenas esta modalidade e o delivery para o comércio em geral até o próximo dia 30. O take away (retirada no balcão) está proibido.

Presidente do Sincomércio, Walace Garroux Sampaio explica que pensou em implantar o que chama de Drive Thru Solidário, essencialmente, por causa dos comerciantes do Calçadão da Batista de Carvalho, cujo trânsito de veículos é proibido. Inclusive, já existe uma tenda deste projeto entre a via e a rua Gerson França.

Ainda segundo Sampaio, a ideia é colocar uma barraca em cada quarteirão do Calçadão. “Os lojistas de determinada quadra podem se unir e comprar a tenda junto à Havan, que a comercializa para este fim pelo preço de custo: R$ 200,00. Já as placas de identificação das lojas ficarão a cargo do Sincomércio”.

Para o presidente da entidade, esta é uma forma encontrada de ajudar os comerciantes, principalmente, os pequenos. “Eles precisam sobreviver a este período mais restritivo”.

De acordo com Sampaio, os lojistas de outras regiões da cidade também podem aderir à iniciativa. Para obter outras informações, basta entrar em contato através dos telefones (14) 3223-9499 ou (14) 99652-8751 (WhatsApp). O Sincomércio atende a distância de segunda a sexta-feira, das 8h às 18h, além de fazer plantões aos finais de semana.

CRÍTICAS

No final da tarde desta segunda-feira (15), o Sincomércio divulgou uma nota criticando o informativo da Prefeitura de Bauru sobre a fase emergencial. No documento, publicado no último domingo (14), a entidade afirma que o município cometeu “erros grosseiros que causaram mais prejuízos ainda ao comércio e à população”.

Ainda na nota, o sindicato cita alguns exemplos, como o fato de a prefeitura ter definido o drive thru para comprar sem sair do carro. “Qualquer veículo pode utilizar o sistema, entre eles, utilitários, caminhonetes, motocicletas, bicicletas etc”.

O Sincomércio também critica as informações sobre o toque de recolher. “Em outro erro absurdo, confunde a recomendação constante no decreto estadual com a proibição expressa da circulação de pessoas das 20h às 5h, aconselhando, inclusive, denúncias à Polícia Militar pelo 190”.

O informativo proíbe, ainda, o funcionamento das academias, que, segundo a entidade, “contam com uma lei municipal que as classifica como atividade essencial”.

O Sincomércio informa que “a pressa da prefeitura contrasta com a demora para corrigir as informações”. A entidade observa que oficiou o município às 9h de ontem e, até as 16h do mesmo dia, o sindicato não obteve qualquer resposta, motivo pelo qual optou por divulgar o comunicado.

OUTRO LADO

Também em nota, a assessoria de comunicação da prefeitura informa que a cidade segue a fase mais restritiva do Plano SP desde ontem. “Assim, somente as atividades classificadas como essenciais pelo governo estadual podem abrir ao público”.

Ainda segundo o município, a duração prevista é de duas semanas e a prefeitura não publicará um novo decreto, pois o atual já estabelece que o Plano SP deve ser seguido.

No final da noite de ontem, porém, o poder público municipal divulgou uma nota sobre o funcionamento de cada serviço nesta nova fase. No texto, consta que as academias estão proibidas de funcionar, de acordo com o Decreto Estadual n.º 64.994/2020.

Desde que o município foi colocado na fase vermelha, a Prefeitura de Bauru procura equilibrar a saúde com a economia, conforme consta na nota. Tanto que uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) ainda tramita pelo Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), mas, enquanto não é julgada em definitivo, a prefeitura deve seguir integralmente as normas estaduais.

Já as fiscalizações são feitas pelas secretarias de Saúde e Planejamento (Seplan), bem como pela PM. No caso da Seplan e polícia, os órgãos estão voltados às vistorias em festas clandestinas e aglomerações.

Fonte: JCnet
por Cinthia Milanez
Foto: Aceituno Jr.