Notícias

Comércio projeta Dia das Crianças com aumento de até 10% nas vendas

169Visualiazação

Alta prevista em Bauru é em relação à mesma data de 2019, quando ainda não havia a pandemia do novo coronavírus

Já a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) projeta uma alta de 7% a 8%. Apesar do cenário econômico adverso, as duas entidades estão otimistas em relação à data, a partir da avaliação de que, neste momento menos crítico da pandemia, os pais deverão ser mais generosos na hora de presentear os filhos, como forma de recompensar as crianças pelas dificuldades, inclusive emocionais, enfrentadas neste um ano e meio de crise sanitária.

“No ano passado, as crianças ficaram isoladas, sem convivência com os colegas, e muitas famílias, inclusive, seguraram um pouco os gastos por conta da perda de renda. Agora, há mais mobilidade. Naturalmente ainda temos um problema em relação à renda das famílias, afetada pelo desemprego, mas, neste momento, os pais acabam abrindo um pouquinho a guarda”, analisa o economista Reinaldo Cafeo, que é presidente da Acib.

Segundo o consultor jurídico da CDL de Bauru, Elion Pontechelle Junior, como a pandemia ainda não acabou, a entidade não promoverá nenhuma ação específica, como a instalação de brinquedos infláveis ou distribuição de pipoca, para evitar aglomerações na região central. Pelo mesmo motivo, o funcionamento das lojas será em horário normal no sábado (9) e na segunda-feira, das 9h às 18h, sendo que, no domingo e no feriado, não haverá expediente.

PROMOÇÕES

“Porém, teremos várias promoções, com descontos e pagamentos parcelados em mais de dez vezes, dependendo do valor da compra. Queremos facilitar a vida dos pais para que eles possam agradar e recompensar as crianças, que foram muito afetadas pelo distanciamento social provocado pela pandemia”, frisa Elion.

Cafeo destaca, inclusive, que o otimismo é reforçado também pelos sinais de aquecimento na indústria, que irá garantir o abastecimento das lojas com produtos infantis, diante das expectativas de vendas geradas para do Dia das Crianças. “A compra online vai continuar, mas com retomada do comércio de rua e shoppings. Com isso, a expectativa é ter um crescimento de 10% em relação aos níveis de 2019, uma vez que o ano passado não é uma boa base de comparação, já que muitos fatores acabaram influenciando o comportamento do consumidor durante a pandemia”, afirma o presidente da Acib.

Por Tisa Moraes
Fonte: JCNet
Foto: Malavolta Jr.